Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Chispes e Couratos

Neste espaço não se discriminam gostos, fetiches, taras, manias, desvarios ou inclinações gastronómicas. Só não toleramos seguidores fanáticos do tripadvisor.

Chispes e Couratos

Neste espaço não se discriminam gostos, fetiches, taras, manias, desvarios ou inclinações gastronómicas. Só não toleramos seguidores fanáticos do tripadvisor.

22
Set10

A melhor carne de porco à alentejana... numa taberna algarvia

Convidado

Voltar a terras alentejanas é sempre uma façanha gastronómica. Desta vez, a paragem foi pela costa... baías surpreendentes, praias sossegadas e horizontes de rocha íngreme a fazer frente ao mar. Às tantas, demos por nós a saborear uma boa comida caseira alentejana... no Algarve, mais precisamente, na vila de Odeceixe, no Concelho de Aljezur.

 

Três nortenhos ávidos por satisfazer os seus desejos de comida típica da costa alentejana e vicentina descobrem, por mero acaso, na hora do almoço, uma taberna onde o menu do dia é-nos logo apresentado a giz, numa lousa preta, à entrada da porta, com a indicação dos preços. No exterior, um painel pintado por artistas locais evidencia a história da vila. Pareceu-nos apelativo e familiar. Entrámos na Taberna do Gabão.

 

O ambiente afigurou-se-nos, de imediato, agradável e descontraído e a simpatia dos empregados uma nota relevante. Após a nossa encomenda, o empregado diz sorridente “Vamos a isso” (faltou apenas dizer, compadres). A ansiedade foi travada pelas entradas, compostas por pão, azeitonas, algumas pastas caseiras, e a deliciosa cenourinha às rodelas, embebidas em azeite e alho, um verdadeiro “sol à mesa”.
Mas, para começar a compor o estômago, nada melhor do que uma deliciosa e aromática sopa de peixe, de “chorar por mais”. Enquanto os meus amigos pediram uma feijoada de búzios, altamente recomendável para os amantes dos ditos moluscos, eu escolhi a melhor carne de porco à alentejana que já comi, bem servida em prato de barro. Um sabor intenso a vinho, alho e coentros, qual digníssima santa trindade. Quase que como a iniciarmo-nos num culto, os meus amigos decidiram lá voltar no dia seguinte para atestar da veracidade do título por mim conferido e eu, como não já tinha dúvidas, decidi provar a espetada de peixe, com cherne fresco e suculento, servida com batata, inclusive a doce, legumes e cenoura ralada com um molho fantástico (de tão bom que, no final da refeição, pedi mais um pequeno prato). A decisão foi unânime. Melhor carne de porco alentejana, não conhecemos. A nossa sugestão, para o prato se tornar divinal, recai em salpicar a iguaria com um pouco de coentros frescos.

 

Como a qualidade da comida e do serviço caseiro são, indiscutivelmente, a marca da casa e como não há duas sem três, gostaria de lá voltar e degustar outras iguarias caseiras como a feijoada de choco e polvo e o arroz de tamboril, num cenário sereno tão característico da região. Há acasos que valem mesmo a pena!


A. Corunha

2 comentários

Comentar post