Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Chispes e Couratos

Neste espaço não se discriminam gostos, fetiches, taras, manias, desvarios ou inclinações gastronómicas. Só não toleramos seguidores fanáticos do tripadvisor.

Chispes e Couratos

Neste espaço não se discriminam gostos, fetiches, taras, manias, desvarios ou inclinações gastronómicas. Só não toleramos seguidores fanáticos do tripadvisor.

07
Out09

O Restaurante que (Nunca) te Recomendarei...

Convidado

Nada mais apetecível, no final de uma tarde de Verão abafada, do que estar à beira mar, mas em terras transmontanas o melhor é estar à borda d'água, sobretudo quando se encontra um restaurante com o mesmo nome, situado na bonita aldeia de Salto, perto de Cabeceiras de Basto. Um local simples condizente com a gente da terra; um espaço rústico que serve boa comida com sabor a aldeia: alheira na brasa, pão e azeitonas da região, como entrada; e as inolvidáveis e imperdíveis batatas com bacon, cebola, alho e salsa, o acompanhante perfeito de uma posta à barrosã.

A gente transmontana não tem “papas na língua” e diz o que lhe vai na alma ou, melhor, o que lhe surge no momento. É o caso da D. Maria que dirige o dito restaurante com pulso e destreza, pois tem uma família para cuidar. Depois da comida ter chegado tardiamente à nossa mesa, e após insistência e a habitual manipulação à mistura por parte dos meus amigos, tentei meter conversa com a Sra., que andava de um lado para outro, sem nos ligar nenhuma, com o objectivo de obter um atendimento mais personalizado e uma atenção redobrada na confecção das iguarias caseiras. Mas, pela primeira vez, em todas as abordagens feitas por mim num restaurante, fui mal sucedida. A intencionada frase “O seu restaurante foi-nos recomendado...”, foi imediata e categoricamente interrompida por “Escusa de recomendar mais, pois vou fechar. Estou farta disto”. Fiquei atónita, bem como os restantes clientes que se encontravam perto de nós. Os meus amigos riram. Eu não queria acreditar no que acabava de ouvir. Seria apenas um desabafo após um dia de trabalho? Um grito de ajuda? Ou um sentimento de desespero com fim à vista? Missão cumprida? Não foi preciso qualquer 'recomendação' (vulgo factor C) para sermos bem servidos na mesa em qualidade e quantidade, apesar de a ouvirmos resmungar quando foi solicitada mais uma travessa de batatas - “Essas batatas dão muito trabalho e agora vão ter de esperar mais. Sai mais uma dose.”

No final do jantar, fomos ter com a D. Maria para lhe darmos a conhecer o nome da pessoa que nos tinha recomendado o seu restaurante, precisamente outro proprietário de um restaurante transmontano em Braga e dizer-lhe que gostaríamos de voltar. Agora, mais simpática, querendo saber o que nós fazíamos na vida, continua a dizer que está cansada do negócio e que se não fosse pelos filhos já teria largado o Borda d' Água.
Gostaría muito de comer novamente aquelas irresístiveis batatas que já foram recomendadas ao restaurante que nos recomendou o dito restaurante que não vos posso recomendar porque vai fechar. Mas se pudesse recomendar, recomendava.

A. Corunha

3 comentários

Comentar post