Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Chispes e Couratos

Neste espaço não se discriminam gostos, fetiches, taras, manias, desvarios ou inclinações gastronómicas. Só não toleramos seguidores fanáticos do tripadvisor.

Chispes e Couratos

Neste espaço não se discriminam gostos, fetiches, taras, manias, desvarios ou inclinações gastronómicas. Só não toleramos seguidores fanáticos do tripadvisor.

07
Abr09

As novas tecnologias são amigas das comezainas

JP

O que nos faz sentir privilegiados por viver no século XXI é saber que anda sempre, por aí, alguém a matutar e a dar cabo da cabeça para inventar soluções que acabem com todos os problemas que nos atormentam. Talvez o exemplo mais curioso deste admirável mundo é a calçadeira de meio metro. Uma engenhosa solução que veio acabar com essa vergonha de termos de nos dobrar para calçar uns sapatos, sem dúvida, um dos maiores escândalos do século XX.

Durante anos gastou-se biliões para ir à lua e construir armas capazes de acertar numa próstata do outro lado do planeta, enquanto os seres humanos continuavam a calçar sapatos em condições indignas. Ainda hoje me emocionam as imagens do terceiro mundo com crianças e mulheres sem acesso a estas calçadeiras.
Quem fala de calçadeiras, fala dos telemóveis ou da internet. Já poucos se lembram do que era estar à mesa do restaurante à espera de um dos convivas e não saber se deviamos mandar vir o cabrito ou esperar mais um pouco. Nada que hoje não se resolva com um sms ou um telefonema a dizer: "estou aí em 5 minutos. Mandem entrar as alheiras e ponham o vinho a respirar".
E não esqueçam que sem a internet as novidades das melhores casas de repasto no Portugal profundo podiam demorar uma geração a chegar. E era sempre o «diz-se que»; «há quem tenha visto uma divinal chanfana de cabra, entre Cabeceiras e Salto»; «os antigos contavam»; «o meu avô jurava que a posta até fazia sombra, mas ele já sofria de Alzheimer» ou «o meu pai esteve no ultramar com um tipo de Montalegre que contou, antes de morrer numa emboscada».

Sem os avanços na indústria automóvel, os GPS's, a internet e os telemóveis (para receber convites e marcar encontros quase à velocidade da luz) não seria possível almoçar cabrito nas Beiras, lanchar umas sandes de leitão na Bairrada e jantar caldeirada de peixe na Foz do Neiva, no mesmo dia.

As novas tecnologias vieram aproximar-nos da melhor comida e acelerar a velocidade com que vivemos, aumentando exponencialmente a quantidade de refeições que podemos fazer nas mais diferentes partes do mundo. No que me diz respeito, só o telemóvel foi responsável por um acréscimo de 73% das minhas participações em comezainas.