Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Chispes e Couratos

Neste espaço não se discriminam gostos, fetiches, taras, manias, desvarios ou inclinações gastronómicas. Só não toleramos seguidores fanáticos do tripadvisor.

Chispes e Couratos

Neste espaço não se discriminam gostos, fetiches, taras, manias, desvarios ou inclinações gastronómicas. Só não toleramos seguidores fanáticos do tripadvisor.

04
Mai08

Café Ramos em Carvalhosa PFR

Marco


Quinta- feira feríado do 1º de Maio. Depois de ter visto uma série de manifs contra os patrões em Braga, ouvir um ramalhete bem jeitoso de música de intervenção em Guimarães, decidi que em Paços de Ferreira conseguiria obter a calma que um capitalista como eu merece e anseia.
Liguei para o meu tio (aquele de barbas) e o homem já estava a adiantar-se à minha ideia e já tinha umas moelas encomendadas no Ramos.
Lá cheguei eu, e de facto já lá estavam as moelas... quentinhas, picante no ponto, mas de facto insuficientes. Após sugestão de que uma alheira vinha mesmo a calhar, a tímida menina lá nos trouxe duas que nem chegaram a aquecer o prato, tal a fome que aquele dia do trabalhador trazia.
Nesse dia, a especialidade da tasca era o frango de churrasco que sem ser nada de especial, conseguiu ser agradável. O verde tinto aconselha-se fresquinho, mas a verdadeira surpresa, tal como em muitas tascas da capital, é o inesperado que sempre acaba por surgir!
Do nada surge um banjo e uma harmónica que bem trinados começaram a puxar pela voz. Ainda mais sem dar conta eis que chegam uma viola, 2 cavaquinhos, um bandolim e uma guitarra portuguesa. Eu alternei entre 1 cavaquinho e o acompanhamento com a viola.
No meio disto tudo, é certo e sabido que umas boas canecas de tinto afinam mais um instrumento que um diapasão em Lá Maior... e existiam lá uns tocadores afinados. O homem do bandolim solava com arte e o do banjo entrava em competição. De viola na mão consegui dar corpo aos solos e compor o ramalhete.... a tocaria foi tanta que acabei a noite com os dedos cheios de bolhas.
È esta espontaneidade que só se encontra nas tascas do verdadeiro Portugal gastronómico, lugares proíbidos a inspectores da ASAE, lugares com os dias contados e que convém explorar enquanto não proibirem as moelas ou até tocar violas porque o pó das cordas pode contaminar o chouriço d' ossos.