Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Chispes e Couratos

Neste espaço não se discriminam gostos, fetiches, taras, manias, desvarios ou inclinações gastronómicas. Só não toleramos seguidores fanáticos do tripadvisor.

Chispes e Couratos

Neste espaço não se discriminam gostos, fetiches, taras, manias, desvarios ou inclinações gastronómicas. Só não toleramos seguidores fanáticos do tripadvisor.

05
Jan09

O vinho e as festividades

Marco

Esta época do ano, repleta de boas alturas e de boas desculpas para abusar de tudo que é gastronomicamente aconselhável, é ideal para a prova de novos vinhos e de novas experiências palatativas. Nos 4 dias de comezaina que constituem as festividades natalícias e de final de ano, a saber, véspera e dia de Natal, Réveillon e dia de ano novo, acrescenta-se ainda o aniversário do meu pai no dia 4 de Janeiro o que proporcionou a degustação de vários vinhos, todos eles com características e sabores muito próprios.

Na véspera de Natal a escolha recaiu sobre um Alto da Caroça Reserva 2001 (Douro) que acompanhou o tradicional bacalhau e demais comidas. O Cabrito do dia seguinte, provado numa zona mais recôndita do nosso Minho foi regado com um Verde Tinto de Amarante sem rótulo que não foi grande opção mas na qual eu não tive qualquer influencia na escolha. Foi molhando a boca, mas ao jantar, tive que recuperar e optei então por um Quinta do Vallado 2004 (Douro) para acompanhar o excelente assado agora já mais calmo… uma escolha excelente sem dúvida, um vinho que é sempre uma boa surpresa. Uma curiosidade partilhada… penso que os assados de forno a lenha ficam sempre mais apurados e mais saborosos ao jantar, pelo menos em minha casa!

 

O Rebelhão, e com muita pena minha não o poder ter passado com os meus confrades dos chispes, foi regado com um Boa Memória 2003 (Alentejo) para os aperitivos, seguido de diversas unidades de Dilema 2004 (Douro) ambos com notas muito positivas. No dia de Ano Novo, foi-me apresentado ao almoço um Poeira 2005 (Douro) e ao jantar um Vinha da Palestra 2000 (Douro), o primeiro um excelente vinho que deixa saudades, o segundo já um bocado mais caído fruto de uma rolha que penso não ter estado à altura.

 

Entretanto, e das prendas que me chegaram, tenho para prova uma caixa de Rosmaninho Branco de Santa Marta de Penaguião e uma fantástica surpresa, uma garrafa de Chryseia 2004 (Douro) que vou guardar para uma altura especial. Este Chryseia é dos mesmos produtores do vinho Post Scriptum que os confrades Eurico e João devem lembrar-se com toda a certeza.

Entre 5 vinhos do Douro, um tinto verdasco e um Alentejo, penso que esta quadra não foi desperdiçada e que novos desafios e novas provas se adivinham para 2009.

3 comentários

Comentar post